Player

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

O adeus a Márcia Giovanetti, a grande defensora dos direitos LGBT no Programa Estadual de DST/Aids-SP

Morreu na manhã deste domingo, em São Paulo, Márcia Regina Giovanetti, da Área de Prevenção do CRT DST Aids-SP (Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids de São Paulo). Marcinha, como era carinhosamente chamada, faleceu no hospital Icesp, onde estava internada tratando de um melanoma. “A doença foi muito agressiva e rápida. Mesmo em estado grave, ela manteve algumas atividades do trabalho. Era uma grandisíssima militante, além de excelente profissional e pessoa. Trabalhamos lado a lado por 15 anos e vai ser muito difícil tocar a vida sem ela”, disse Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual de DST/Aids do Estado de São Paulo, integrado pelo CRT.
O velório de Márcia será a partir de 23h e o sepultamento, amanhã (22), às 9h, ambos no Cemitério de Congonhas.
Maria Clara conta que ela deixa marido e um filho. Refere-se à ela como a grande responsável pela implementação de políticas públicas de prevenção para as popuilações LGBT. No dia 31 de janeiro, Maria Clara recebeu por ela o  Prêmio Cláudia Wonder, no 4º Transvisão,  por sua relevante contribuição para a formulação de políticas públicas contra o preconceito e a discriminação, e ampliação do acesso aos serviços de saúde para a população LGBT. Márcia já estava com a saúde debilitada e, por isso, náo compareceu à cerimônia. Mas mandou um texto emocionate agradecendo a homenagem recebida.
“Saibam que apesar de não estar presente fisicamente, certamente estarei presente em pensamento e energia. Desejo que nossos sonhos mais íntimos, aqueles coletivos por um mundo mais amoroso, justo e sustentável, como aqueles individuais que almejamos para cada um de nós, onde colocamos a busca pela felicidade possam ser conquistados e transformados em realidade. Desejo que nosso trabalho cotidiano e de perseverança possa apontar caminhos, contribuir para um mundo melhor com mais harmonia e cooperação. Desejo que nossas diferenças não possam nos separar e impedir que a luta por ideais comuns permaneça.Por último, retomo a homenagem recebida para humildemente novamente agradecer e me colocar àm disposição para o que ainda está por vir”, escreveu Marcinha num trecho do texto.
Márcia coordenava, em colaboração com as demais áreas do CRT DST/Aids-SP, o Plano Estadual de Enfrentamento da epidemia de aids e controle das DST entre gays, homens que fazem sexo com homens, travestis e transexuais e presidia o Comitê Técnico de Saúde Integral da População LGBT do estado de São Paulo, que tem a finalidade de apontar as especificidades dessa população e propor ações diversas que possam ampliar o acesso aos serviços, qualificar a atenção a saúde, identificar a necessidade de pesquisas e enfrentar as práticas discriminatórias em função da orientação sexual e identidade de gênero.
Graduada em Serviço Social com especialização em Gestão Pública de Saúde,  participou ativamente da construção do curso de ensino à distância (EAD): “A Conquista da cidadania LGBT - a política da diversidade sexual no estado de São Paulo direcionado para trabalhadores do SUS” (2014). Esta iniciativa pioneira da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania através da Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual vem sendo oferecida a todos os servidores públicos do estado de São Paulo desde 2011. O curso incorporado pela Secretaria da Saúde foi possível pela articulação entre a Coordenação Estadual de DST/Aids, Núcleo Técnico de Humanização e o Centro Formador de Pessoal para Saúde de São Paulo. Para este curso, a Secretaria da Saúde criou um módulo específico relativo à saúde da população LGBT.
Redação da Agência de Notícias da Aids com CRT

Matéria do site:
http://agenciaaids.com.br/home/noticias/noticia_detalhe/24571#.VszDXX0rKmX

Nenhum comentário:

Postar um comentário