PARA OUVIR A RADIO PELO CELULAR APERTE PLAY

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Globo já estuda criar programa para público LGBT, diz colunista

Uma das ideias se trata de uma espécie de variação do programa "Amor & Sexo".

Felix e Niko se beijaram na novela "Amor à Vida".


Para uma emissora que proibiu beijo dramatúrgico entre gays durante mais de 20 anos, até que a Globo de repente progrediu no tempo e se tornou "moderninha". Se dizendo "atenta ao momento da sociedade", a emissora mostrou nos últimos meses beijo entre dois homens em novela, beijo entre duas mulheres em reality show e novela, e agora prepara mais um passo: um programa dedicado especificamente ao público LGBT.

Segundo o jornalista Ricardo Feltrin do UOL, não se trata de um projeto para ir ao ar imediatamente, mas para ser viabilizado em 2015 ou, no máximo, 2016. Uma das ideias em gestação trata de uma espécie de variação do programa "Amor & Sexo", apresentado por Fernanda Lima.

As questões envolvendo sexualidade, bem como convidados, seriam sempre pautadas pela temática LGBT. Outra ideia seria a criação de um reality show mostrando a rotina de casais do mesmo sexo convivendo (nos moldes de "A Família Ousborne", da MTV).

Uma outra ideia seria incluir em tal programa um quadro em que personalidades nacionais, bem como telespectadores comuns, sairiam do armário e assumiriam sua orientação em público.

O projeto prevê que o programa comece a ser exibido no eixo Rio-São Paulo, dependendo da reação, e só depois migre para rede nacional.

Esse programa teria também artistas convidados a cantar ou se apresentar. Em comum, todas e todos teriam que ser lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais ou que tivessem LGBTs como público principal.

Se um grupo defende a criação da atração, outro prefere que a emissora "saia do armário" como vem fazendo: passo a passo.

Daí a ideia de que, antes de ter um espaço exclusivo, o programa vire algum quadro fixo de "Amor & Sexo", de Fernanda.

Matéria do Site:
http://www.gay1.com.br/2014/03/globo-ja-estuda-criar-programa-para.html#.U0f5PlW8Cpc

Distrito Federal tem o maior numero de casamentos entre pessoas do mesmo sexo

Dados é destaque da 'Veja Brasília' com vídeo de casamentos gays que faz sucesso e comove nas redes sociais.



Proporcionalmente à população do DF registra o maior número de casamentos entre pessoas do mesmo sexo do Brasil, e notícia é destaque da Veja Brasília.

Matéria do Site:
http://www.gay1.com.br/2014/02/distrito-federal-tem-o-maior-numero-de.html

Após sair do armário, Ricky Martin diz que 'é preciso viver sem máscara'

Cantor gravou entrevista ao programa "Altas Horas", da TV Globo.

Ricky Martin gravou entrevista com Serginho Groisman nesta segunda, no terraço do hotel onde está hospedado na zona sul do Rio.

No Brasil para a gravação do clipe da música "Vida", que faz parte da trilha sonora oficial da Copa do Mundo 2014, Ricky Martin concedeu entrevista ao programa "Altas Horas", comandado por Serginho Groisman, nesta segunda-feira (10), no hotel onde está hospedado, no Rio.

Após sair do armário, em 2010, o cantor disse que "fica louco com muitos segredos": É preciso viver sem uma máscara. Foi muito trabalho espiritual para eu chegar e poder me liberar das pressões sociais. Hoje, posso dizer que ganhei uma batalha que foi dolorosa", disse Ricky, segundo o site oficial da atração.

Ricky disse também que gosta de jogar futebol, mas brincou: "Depende de quem é o time". Ainda bem-humorado, o músico confirmou seu carinho pelo Brasil. "Adoro esse país, sua música e minha história com o Brasil. Minhas amigas dizem que tenho que melhorar meu português", ressaltou.

Ele comentou também que é uma pessoa que se preocupa com o futuro. "Espiritualmente, minha obrigação é ficar no presente, porque as expectativas são dolorosas", explicou.

Matéria do Site:
http://www.gay1.com.br/2014/03/apos-sair-do-armario-ricky-martin-diz.html#.U0f1JVW8Cpc

Google faz campanha contra homofobia nos Jogos de Inverno na Rússia

Carta Olímpica ganha doodle da empresa que exaltou a igualdade na prática esportiva.

Google destaca igualdade no esporte no Doodle de homenagem às Olimpíadas de Inverno.


O Google exaltou Carta Olímpica e a igualdade na prática esportiva no doodle sobre os Jogos Olímpicos de Inverno, cuja cerimônia de abertura está marcada para esta sexta-feira (7), em Sochi, na Rússia.

O Doodle na página inicial do buscador mostra os esportes disputados na neve usando as cores similares as do site oficial do evento, que lembram um arco-íris, símbolo do movimento LGBT. As cores tem sido citada como o real motivo do doodle, que traz ainda um texto sobre igualdade. 

Ao clicar, o usuário é levado para resultados de busca sobre a Carta Olímpica. O documento reúne regras para organização dos Jogos Olímpicos e é o código adotado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Abaixo do campo destinado à pesquisa, o Google destacou a tradução de um trecho, que ressalta a prática esportiva como direito humano que deve ser feito sem discriminação, vista como um direito humano. 

“A prática esportiva é um direito humano. Todas as pessoas devem ter a possibilidade de praticar esporte sem qualquer tipo de discriminação e conforme o ideal olímpico, que exige compreensão mútua e um espírito de amizade, solidariedade e fair play”, diz o texto traduzido, escrito originalmente em francês.

Polêmica em Sochi
Para muitos, a menção do texto sobre igualdade não é à toa. A preparação para os Jogos Olímpicos de Inverno tem sido marcada por protestos contra a polêmica envolvendo a "lei antigay russa" que proíbe "promover a homossexualidade a menores de idade" no país sede dos Jogos de Inverno. Assinada pelo presidente Vladimir Putin, a lei prevê que até mesmo estrangeiros sejam presos e multados.

Entidades de defesa dos direitos LGBT acusam o governo russo de incentivar a homofobia, além de contribuir para o aumento da violência física contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Na quarta-feira (5), manifestações contra a norma foram programadas em 19 cidades ao redor do mundo. Diversos atletas que participarão das Olimpíadas em Sochi pretendem expressar seu repúdio.

Enquanto isso, o Google ainda não se manifestou oficialmente além do conteúdo publicado na primeira página do buscador em vários países. O conteúdo está disponível em várias línguas, inclusive em português.

Matéria do Site:
http://www.gay1.com.br/2014/02/google-faz-campanha-contra-homofobia.html#.U0fzS1W8Cpc

Turismo LGBT deve gastar mais de US$ 200 bilhões em 2014

LGBT gastam uma média de 57% a mais durante suas férias em comparação aos turistas heterossexuais.


O mercado de viagens LGBT poderá faturar mais de US$ 200 bilhões em 2014.

Um novo relatório projeta que lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais gastarão a bagatela de mais de US$ 200 bilhões em viagens no ano que vem. De acordo com a análise de números de um estudo de pesquisa de mercado LGBT apresentado no World Travel Market em Londres nesta semana, o top 20 dos mercados LGBT poderá arrecadar US$ 202 bilhões no ano que vem.

Quem lidera a lista são os EUA, com turistas LGBT atingindo US$ 56,5 bilhões em gastos, seguido pelo Brasil com US$ 25,3 bilhões, consta no relatório LGBT 2020.

Com a França e o estado da Califórnia passando por decisões históricas para legalizar o casamento igualitário neste ano, hotéis e pontos de turísticos também estão ganhando dinheiro graças a um grupo demográfico emergente e rico: pessoas do mesmo sexo recém-casadas.

As conclusões do relatório LGBT 2020 ecoam os resultados da pesquisa da Community Marketing Inc. dos EUA, que também mostra que os viajantes LGBT gastam uma média de 57% a mais durante suas férias em comparação aos turistas heterossexuais.

Parte das razões apresentadas pelo grupo da pesquisa de mercado incluem o fato de que LGBT viajam mais, possuem mais casas e carros, gastam mais em eletrônicos e têm a maior quantidade de renda disponível que qualquer outro nicho de mercado.

E o termo LGBT poderá em breve ganhar mais uma letra, para reconhecer as pessoas Intersexual, diz Ian Johnson, CEO da Out Now, empresa que produziu o estudo LGBT 2020. A comunidade Intersexual da América do Norte define o termo "intersex" como pessoas que nascem com órgãos sexuais que não conseguem ser encaixados "nas definições típicas do [gênero] feminino ou do masculino."

"As pessoas intersexuais estão se tornando mais visíveis e seus problemas originais estão lentamente se tornando mais bem compreendidos", disse Johnson.

Matéria do Site:
http://www.gay1.com.br/2013/11/turismo-lgbt-deve-gastar-mais-de-us-200.html#.U0fyIVW8Cpc

Confundido com gay, rapaz é espancado até a morte e assassino vai responder em liberdade

Agressor de família influente da cidade foi preso em flagrante, mas liberado no dia seguinte para responder processo em liberdade.


Matéria do Site:
http://www.gay1.com.br/2014/03/confundido-com-gay-rapaz-e-espancado.html#.U0fwzlW8Cpc

Maioria dos americanos apoia casamento igualitário segundo pesquisa

Casal celebra a decisão da Assembleia de Illinois a favor do casamento igualitário em Novembro de 2013 em Chicago.

Após um crescimento espetacular de apoio nos últimos dez anos, uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira mostra que a maioria dos americanos apoia o casamento entre pessoas do mesmo sexo. O levantamento, realizado com 4.500 pessoas, pelo Public Religion Research Institute, indica que o direito ao casamento igualitário passou de um apoio de 32% em 2004 a 53% em 2013.

Até as pessoas religiosas estão cada vez mais a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. 83% dos judeus, 62% dos protestantes, 58% dos católicos bancos e 56% dos católicos de origem hispânica são favoráveis. No entanto, a maioria dos protestantes negros (59%) e dos evangélicos brancos (69%) se opõem ao casamento igualitário. Quase 75% dos americanos não religiosos são a favor.

O tema conta com o apoio de sete em cada 10 jovens de 18 a 33 anos.

A pesquisa, realizada entre 12 de novembro e 18 de dezembro (com uma margem de erro de 1,7 ponto), é publicada enquanto vários estados como Utah, Virgínia ou Michigan estão em uma batalha judicial sobre a proibição do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

No início do mês, o governo federal anunciou que dará, em breve, o mesmo tratamento para casos de justiça criminal a casais de mesmo sexo e de sexos opostos. A medida vai se aplicar, por exemplo, a pedidos de falência, testemunho em tribunais ou visitas a família na prisão.

Em novembro, o Illinois se transformou no 16º estado dos Estados Unidos a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. O casamento igualitário é legal em outros 15 estados do país, que o aprovaram através de suas Cortes Supremas ou de suas assembleias gerais desde 2004.

Matéria do Site:
http://www.gay1.com.br/2014/02/maioria-dos-americanos-apoia-casamento.html#.U0fvzFW8Cpc